Moradores de três favelas na zona oeste do Rio de Janeiro só puderam deixar suas regiões depois de passarem por cadastramento do exército

A ação intimidatória dos governos estadual e federal contra trabalhadores das áreas pobres da cidade, vai ganhando ares de regime militar.

Hoje, 23 de fevereiro, moradores de três comunidades da zona oeste sofreram o constrangimento e violência por parte das forças armadas, quando só permitiram que deixassem a comunidade após serem “fichados” pelos soldados com celulares.foto001foto03foto002O comandante da operação falou vagamente à imprensa que as informações coletadas pelo aplicativo do exército são enviadas para o banco de dados dos agentes de segurança que checam se as pessoas tem anotação criminal. O Comando Militar do Leste não se pronunciou sobre a ação ilegal nos acessos das favelas.

O pedreiro Edvan Silva Monteiro, de 47 anos,  desceu apenas com a marmita na mão, havia esquecido os documentos e foi impedido de sair pra trabalhar. Sendo obrigado pelos militares a retornar à sua casa para recuperar o documento. A situação fez com que o trabalhador chegasse atrasado ao trabalho e fosse dispensado pelo patrão.

Na madrugada desta sexta, 3.200 homens do exército ocuparam acessos na Vila Kennedy, Coréia e Vila Aliança.

foto004

img-20180223-wa0005

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

pt_BRPT_BR
es_MXES pt_BRPT_BR