Rio de Janeiro: Trabalhadores da Saúde Pública resistem em defesa do SUS

Reportagem: Ellen Francisco e Victor Ribeiro

Hoje, 16/12 mais uma vez trabalhadores da saúde pública se concentraram na porta do TRT – Tribunal Regional do Trabalho no centro do Rio de Janeiro, para a audiência de dissídio da greve. Técnicos, enfermeiras, médicas, nutricionistas, dentistas, todas reunidas para denunciar o atraso dos salários e também o jogo político e judicial que o prefeito Marcelo Crivella faz para manobrar a situação e não honrar com os pagamentos.

O prefeito também foi denunciado pelas mentiras que vem propagando nas redes sociais, afirmando que a saúde da cidade não enfrenta uma crise, e tentando colocar os trabalhadores em disputas internas, divulgando inverdades e informações incompletas.

Trabalhadores levaram seus boletos com contas mensais que não conseguem quitar por conta dos atrasos de salários e benefícios. Muitos declararam que nem as compras básicas de alimentação estão conseguindo fazer. O destaque do ato foi um boneco do Crivella algemado e enforcado pelos trabalhadores.

Foto: Ellen Francisco

#RioDeJaneiro #SaudePublicaMais uma vez trabalhadores da saúde se concentraram na porta do TRT – Tribunal Regional do Trabalho, para a audiência de dissídio da greve.O prefeito Marcello Crivella também foi denunciado pelas mentiras que vem propagando nas redes sociais, afirmando que a saúde do Rio de Janeiro não enfrenta uma crise.Trabalhadores levaram boletos com contas mensais que não conseguem quitar por conta dos atrasos de salários e benefícios. Muitos declararam que nem as compras de alimentação básica estão conseguindo.O destaque do ato foi um boneco do Crivella algemado e enforcado pelos trabalhadores. VEM AÍ O DOCUMENTÁRIO #NaFilaDoSus fica ligado em https://bombozila.com

Posted by Radio Mutirão on Tuesday, December 17, 2019

O Impacto do desmonte do SUS na Favela

Essa população que já vive na mira do fuzil do estado racista, agora fica ainda mais desamparada com a precarização das Clinicas da Família e UPAs, que muitas vezes são o pára choque dos problemas sociais o único recurso de defesa do povo, e recebem muitas demandas da população pós confrontos militares. Pessoas que são baleadas, ou mesmo entram em estado de surto, além de crianças que sofrem constantemente de estresse pós traumático, decorrente da politica genocida do estado nas favelas.

Entrevistamos Felipe dos Anjos, secretario da FAFERJ – Federação das Favelas do Estado do Rio de Janeiro, sobre o impacto do desmonte do SUS na população que vive nas favelas da cidade.

#RioDeJaneiro #SaudePublicaEntrevista com Felipe, secretario da FAFERJ, sobre o impacto do desmonte do SUS na população que vive nas favelas da cidade.Essa população que já vive na mira do fuzil do estado racista, agora fica ainda mais desamparada com a precarização das Clinicas da Família e UPAs, que muitas vezes são o pára choque dos problemas sociais o único recurso de defesa do povo, e recebem muitas demandas da população pós confrontos militares.Pessoas que são baleadas, ou mesmo entram em estado de surto, além de crianças que sofrem constantemente de estresse pós traumático, decorrente da politica genocida do estado nas favelas.Veja mais em http://radiomutirao.com

Posted by Radio Mutirão on Tuesday, December 17, 2019

Comentários

Comentários

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos necesarios están marcados *

es_MXES
pt_BRPT_BR es_MXES