[RJ] Manguinhos pede justiça: mais um julgamento do homicídio de Johnatha Oliveira

Foto: Rovena Rosa – Agência Brasil

Nesta quinta-feira, dia 24 de maio, às 13h, será decidido se o policial militar que assassinou Johnatha de Oliveira Lima, de 19 anos, vai ser levado a júri popular. O réu, Alessandro Marcelino de Souza, recorreu da decisão que determinou que ele seja levado a júri, e o recurso será julgado Amanhã na 5a Câmara Criminal. Vamos apoiar Ana Paula Oliveira e sua família em mais uma etapa na luta por Justiça e pela memória de Johnatha!

O policial militar era lotado na UPP de Manguinhos quando deu um tiro pelas costas em Johnatha. Ele foi afastado da UPP, mas continua trabalhando armado nas ruas enquanto aguarda a decisão. Depois da pronúncia do caso, em 21 de novembro de 2016, a defesa do PM recorreu, em março de 2017.

O julgamento do recurso havia sido marcado para outubro de 2017, mas não ocorreu porque o advogado de defesa se recusou a colocar uma gravata, como foi pedido pelo desembargador. Outros advogados ofereceram uma gravata para ele, mas o mesmo se negou a vesti-las, e a audiência foi suspensa. Por conta do episódio da gravata, o julgamento demorou mais 7 meses para ser agendado.

Johnatha foi assassinado minutos depois de levar um pavê na casa de sua avó, em Manguinhos, no dia 14 de maio de 2014. A polícia atirou contra moradores que protestavam contra a UPP e acertou o filho de Ana Paula com um tiro na região lombar. Ele foi levado por moradores para a UPA, mas não resistiu e faleceu.
O caso foi denunciado à Justiça por conta da militância de moradores de Manguinhos e dos familiares de Johnatha, que foram à delegacia depor, desconstruindo a versão falaciosa apresentada pelos policiais de suposta troca de tiros – a qual jamais foi comprovada.

Johnatha, presente!

#nossosfilhostemmães
#nossosmortostemvoz

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

pt_BRPT_BR
es_MXES pt_BRPT_BR